Últimas notícias

Viena em dez paragens (6) Palácio de Schönbrunn

Texto: NUNO GALOPIM

Cada um conta as memórias de uma visita a uma cidade segundo os seus gostos e interesses… Estes são dez dos passos que dei em Viena (Áustria). Começamos pelos museus e grandes palácios…

Palácio de Schönbrunn

Tal como Versalhes, o Palácio de Schönbrunn nasceu da ampliação de uma antiga residência de caça (esta na verdade não muito distante do palácio no coração da cidade). As grandes obras – e a definição das primeiras grandes linhas de decoração de interiores do palácio – datam do reinado de Maria Teresa de Áustria, cabendo contudo o aspeto exterior do edifício, tal e qual hoje o conhecemos, a intervenções já sob Francisco I. O palácio reside longe do centro mas ainda dentro dos limites da cidade e tem um acesso fácil através de uma estação de metro a menos de cinco minutos a pé de distância do portão principal. A visita ao piso nobre (o que está aberto ao público) prevê duas modalidades, a mais cara acrescentando algumas salas ao percurso que naturalmente encontra ali ecos sobretudo dos tempos do reinado de Francisco José, o penúltimo monarca austríaco. À visita dos interiores o palácio convida ainda a percursos – de entrada gratuita – pelos vastos jardins, que pedem uma caminhada valente até se atingir a Gloriette, um pavilhão do qual se tem uma vista incrível sobre todo o parque e a cidade de Viena. Dentro dos jardins do palácio está hoje instalado o jardim zoológico de Viena. Há vários pontos de venda de gelados dentro do recinto do parque. E são ótimos… O restaurante oficial é carote. Marcar a visita com antecedência é uma boa opção. Ao comprar o bilhete online pode escolher o dia e a hora para entrar no palácio.

Site oficial: https://www.schoenbrunn.at/en/

Kunsthistorisches Museum

Em finais do século XIX o imperador Franscisco José decidiu criar dois museus para neles poder exibir ao público as coleções de arte e de história natural que ao longo dos séculos tinham sido reunidas pelos seus antecessores. Erigidos junto ao gigantesco conjunto de palácios conhecido como Hofburg, dois museus abriram as portas em 1891. Um deles é o Kunsthistorisches Museum (Museu de História da Arte), no qual estão expostas coleções que vão desde os tempos do Antigo Egito, da Grécia e Roma antigas até ao século XVIII. A arte das antigas civilizações divide o piso térreo com a Kunstkammer na qual se expõe a coleção de escultura e objetos de artes decorativas. No piso superior encontram-se as galerias dedicadas à pintura nas quais podemos ver, entre outras, obras de mestres como Brueghel, Raphael, Dürer, Ticiano, Tintoretto, Rembrandt, Vermeer, Vélazquez, Rubens, Arcimboldo ou Caravaggio. No outro lado de um praça dominada por uma estátua de Maria Teresa de Áustria encontramos, com arquitetura semelhante, o Naturhistorisches Museum (Museu de História Natural). O museu foi recentemente objeto de atenção do documentário “O Grande Museu”, de Johannes Holzhausen.

Site oficial: https://www.khm.at/en/

Leopold Museum

Criado para albergar a coleção reunida por Rudolf e Elisabeth Leopold (que o estado austríaco adquiriu em 2001) o Leopold Museum integra o conjunto de equipamentos que constitui o Museumsquartier, mesmo no coração da cidade de Viena. A coleção é extensa, inclui um lote significativo de obras de Egon Schiele (na verdade está ali a maior concentração de pinturas e desenhos seus) e Gustav Klimt e a museografia tem-na organizado de forma inteligente. Neste momento, além de mostras temporárias, está ali patente a exposição “Vienna 1990” na qual se conta a história da arte e das ideias na capital austríaca desde o final do século XIX (ou seja, ainda na grande Viena imperial) até aos momentos que se seguem ao desfecho da I Guerra Mundial (na foto) com as consequentes transformações na vida política do país. E para além de Schiele e Klimt a arte criada durante ou imediatamente após a Grande Guerra representa outro dos espaços a destacar desta exposição. Ocupando uma área vasta área no centro de Viena o Museumsquartier inclui, para lá do Leopold Museu, o MUMOK (museu de arte contemporânea), o Kunsthalle Wien, entre outros espaços, e é lugar para vários eventos de música e de artes performativas.

Site oficial: https://www.leopoldmuseum.org/en

Secessão de Viena

Criado em finais do século XIX o movimento que ficou conhecido como Secessão de Viena juntou pintores, escultores e arquitetos que se afastaram da Associação de Artistas Austríacos e talharam novos rumos e novas ideias. O seu primeiro presidente foi, nada mais, nada menos, do que Gustav Klimt. Passaram a publicar uma revista – a “Ver Sacrum” – e em 1897 inauguraram a sua própria galeria de arte. O edifício da Wiener Secessionsgebäude, projetado por Joseph Maria Olbrich, fica situado a meio caminho entre o conjunto central de museus de Viena (tanto os do Museumsquartier como os dois colossais Kunsthistorisches Museum e Naturhistorisches Museum) e a ampla Karlsplatz. Na cave podemos ainda ver os frisos que Klimt criou em 1902 como homenagem a Beethoven. No piso térreo e no andar superior há exposições temporárias de artistas contemporâneos. Logo à entrada uma loja vende bibliografia e memorabilia, com muito tempero a Klimt.

Site oficial: https://www.secession.at/

Hofburg

Com raízes que recuam ao final da Idade Média o complexo de edifícios que constituíam a principal residência imperial em Viena é conhecido como Hofburg. O palácio não é mais do que o resultado de sucessivas construções contíguas, correspondendo a mais recente grande etapa de construção ao projeto (inacabado) lançado no reinado de Francisco José que envolveu os edifícios do Kunsthistorisches Museum e Naturhistorisches Museum e a praça Heldenplatz e a estrutura imponente do Neue Burg que a encima e hoje acolhe museus dedicados a coleções de armas, antiguidades, instrumentos musicais e etnologia. As jóias da coroa estão também ali expostas. Entre os edifícios que constituem o Horfburg – por cujas praças interiores o transeunte pode passar – estão instituições várias, entre as quais a presidência austríaca e a antiga escola de equitação (podemos ver regularmente os cavalos dentro de um dos jardins do complexo). As alas de St Michael (que corresponde a uma das entradas do complexo) e da antiga Chancelaria Imperial são visitáveis. E aí encontramos a vasta (sim, vasta e aborrecida) coleção imperial de pratas e serviços de mesa, o Museu Sissi (que só não é o ponto mais piroso da visita porque as Sissis em chocolate ou em memorabillia nas lojas superam a coisa) e, bem mais interessante, os apartamentos privados do imperador e imperatriz (esta com um ginásio nos seus aposentos, coisa bem avançada para o seu tempo).

Site oficial: https://www.hofburg-wien.at/en/

Algumas lojas de discos

Nunca faltam lojas de discos… A sorte é dar com as certas e encaixar os seus horários no mapa do tempo da passagem por cada cidade. Em Viena vale mesmo a pena guardar um tempo para visitar a Teuchtler Schallplattenhandlung u. Antiquariat (Windmühlgasse, 10). É um mundo de revelações, com uma oferta interessante de LPs e singles (sete polegadas) de pop/rock. Mas o coração da loja reside entre o jazz, o rhythm’n’blues (e cercanias) e, acima de tudo, a música clássica. Há LPs arrumados por compositores (sobretudo os vienenses) e também por maestros. Destaque ainda para algumas prateleiras com obras do século XX e para uma parede cheia de gravações de ópera. Atenção ao horário: abre das 13.00 às 18.00 e só fecha aos domingos… Quem comprara mais do que três discos pode ter uns descontos ou mesmo borlas… (aconteceu comigo duas vezes). Um percurso por Viena pode ainda passar pela DaCapo Klassik (Seilerstätte, 30), uma loja essencialmente dedicada à música clássica e que vende sobretudo CD, DVD e Blu-ray. A Moses Records (Lerchenfelder Str, 33) tem duas salas que pedem tempo. Na primeira uma seleção de títulos arrumados por áreas. Nas traseiras há uma maior ainda com secções temáticas e com prateleiras e mais prateleiras de pechinchas… Deixei muitas mais por ver. Conclusão: tenho de regressar a Viena!

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão /  Alterar )

Google photo

Está a comentar usando a sua conta Google Terminar Sessão /  Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão /  Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão /  Alterar )

Connecting to %s

%d bloggers like this: