Últimas notícias

Vozes de alerta verde num planeta azul

Texto: NUNO GALOPIM

O compositor britânico Bob Chilcott estreia em disco “The Angry Planet”, obra de alma ecologista que teve primeira apresentação mundial nos Proms em 2012.

Não terá talvez a mesma visibilidade internacional que, graças às experiências dos seus coros virtuais e ao Grammy obtido em 2012 por Light and Gold, fez do norte-americano Eric Whitacre um dos mais célebres compositores de música coral do nosso tempo. Mas, sobretudo no Reino Unido, Bob Chilcott (n. 1955), é um nome com obra já reconhecida e uma capacidade para chamar também a atenção de grandes plateias. Ainda este ano a ele coube ser protagonista no concerto (esgotado) da edição deste ano do Music Day da BBC, que teve lugar em Maida Vale, a 5 de junho.

Tendo começado a carreira como cantor – aos 12 anos foi solista no Pie Jesu do Requiem de Fauré numa gravação pelo King’s College – Bob Chilcott trabalha com coros há largos anos e desde finais dos anos 90 tem mantido uma atividade regular como compositor.

Estreada como uma das obras novas especialmente criadas para os Proms de 2012, a cantata The Angry Planet representa mais uma expressão de uma obra que tem procurado cruzar coros de várias idades, aqui numa peça de fôlego na qual se questiona o estado do planeta e deixa, nas vozes dos mais novos o peso do legado que lhe será entregue depois de anos de erros repetidos e uma cada vez maior sensação de impotência perante os cenários que temos pela frente.

Partindo de poemas de Charles Bennett, que em algumas frentes foram recebidos com comentários que apontavam uma escrita não tão incisiva como o tema poderia exigir, The Angry Planet é mesmo assim um exemplo novo de uma forma política de estar na música que, no nosso tempo, assistiu já a debates sobre a clonagem em Three Tales de Steve Reich, a uma evocação de um episódio histórico de finais do século XX em Nixon in China de John Adams ou no filme-ópera Fig Trees de John Greyson, sobre o VIH. A cantata de Chilcott tem contudo um sentido de intervenção mais direto com o ouvinte, lançando questões em aberto que, cada vez mais, habitam os programas políticos e que serão de importância central não apenas para garantir o curso de vida dos governos das democracias, mas a própria existência da espécie no planeta. A dada altura as palavras de Bennett dão a entender que seja talvez tarde demais para agir (como ainda recentemente um estudo mostrou que o aquecimento global dos oceanos é já irreversível). Ou, no fim, um “perhaps” é deixado em aberto, procurando semear em cada um que escuta a vontade de participar numa mudança que cabe a todos e urge concretizar. Simples, talvez. Mas quando o tema é já de tão complicado patamar, nada como ser simples para que algo aconteça.

A peça pode não sugerir, como na obra coral de um John Tavener, uma tão evidente, distinta e arrebatadora marca autoral. Mas serve um objetivo. E revela manifesta capacidade em explorar os recursos tímbricos das vozes que chama, numa gravação que conta com os BBC Singers, o Bach Choir, os The Young Singers, o London Youth Choir e o Finchley Children’s Music Group, dirigidos por David Hill. No concerto de estreia, nos Proms, eram perto de 540 as vozes em cena. Nesta versão em disco não deveremos estar longe.

O álbum, lançado pela Signum Classics, é um CD duplo e junta à cantata que lhe dá título outras duas obras corais de Bob Chilcott. Em Five Days That Changed The World são assinalados episódios-chave na história da humanidade, entre a invenção da imprensa e o lançamento do primeiro homem no espaço. Já The Miracle of Spring é um percurso mais sensorial e contemplativo sobre um tema que na verdade tem história antiga a contar entre músicos de tantas que foram já as ocasiões em que a Primavera (e demais estações) conheceram voz instrumental ou cantada ao longo dos séculos.

“The Angry Planet”, de Bob Chilcott, em interpretação pelos BBC Singers, o Bach Choir, os The Young Singers, o London Youth Choir e o Finchley Children’s Music Group, dirigidos por David Hill, está editado em 2CD pela Signum Classics e disponível nas plataformas digitais de streaming e dowwnload.

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão /  Alterar )

Google photo

Está a comentar usando a sua conta Google Terminar Sessão /  Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão /  Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão /  Alterar )

Connecting to %s

%d bloggers like this: