Últimas notícias

Para arrumar as memórias do rock’n’roll

A nova revista “The History of Rock” (que vai no quarto número e já ganhou fôlego e leitores) entra nos arquivos do “Melody Maker” e “NME” e apresenta, a cada mês, uma seleção de um ano na história do rock’n’roll e suas periferias.

Folheamos as páginas e caminhamos entre os artigos… Os Beatles entram numa nova etapa da sua vida empresarial… Brian Jones, dos Rolling Stones, explica que Jumpin Jack Flash, o novo single, lhe sugere o mesmo entusiasmo de Satisfaction, lançado três anos antes. Jimi Hendrix revela os projetos que tem para o futuro próximo. John Peel, DJ da BBC, apresenta novos singles, entre os quais surgem os Tyrannosaurus Rex. Ray Davies e companheiros apresentam The Kinks Are The Village Green Preservation Society. Louis Armstrong prepara uma residência no Yorkshire. Os Beach Boys encaram uma nova etapa da sua carreira após os momentos difíceis do ano anterior. E não… Não se tratam de memórias contadas nem de histórias que alguém, em 2015, redigiu recordando citações de outros tempos. Todas estas histórias são, caso não tenham ainda feito as contas, de 1968… E, contadas em textos publicados no mesmo ano em que surgiam estes discos e notícias, são recuperadas na quarta edição de The History of Rock, uma nova publicação surgida este verão e que mostra o valor “de arquivo” vivo que habita o acervo de anos de história do (extinto) Melody Maker e New Musical Express, jornais de importância maior na história da imprensa musical.

Não é a primeira vez que publicações com história dedicam páginas nem a revisões da matéria dada nem mesmo à republicação de artigos dos respetivos arquivos. A novidade (e o lado mais atraente) de The History of Rock é o modo como as memórias são arrumadas, propondo cada edição (mensal) uma seleção de quase 150 páginas de artigos de um mesmo ano. E para que seja clara esta mesma lógica de arrumação, a revista tem avançado no tempo, ano a ano, mês após mês. Tendo começado a recolher memórias de 1965 (aproveitando inteligentemente o efeito “efeméride” do meio século vivido sobre os assuntos e textos publicados nesse primeiro número lançado há quatro meses), The History of Rock caminha neste momento rumo a 1969, anunciando a última página deste número dedicado a 1968 uma seleção de artigos, desse ano marcado por Woodstock, passando pelas memórias de nomes como os de David Bowie, Blind Faith, Rolling Stones, Bob Dylan ou The Beatles.

Há, assim sendo, muitos anos anos de histórias ainda para arrumar e revisitar. Não seria contudo má ideia recuar depois aos anos 50 (já que o NME foi fundado em 1952). E, em querendo, há nestes mesmos arquivos, textos e imagens que recuam a 1926, o ano em que o Melody Maker surgiu nas bancas.

Há, naturalmente, quem goste de acumular papelada em casa e não dispense o sentido colecionista. Mas estas novas revistas ajudam a juntar histórias sob uma lombada comum. A poupar espaço. E dão azo a limpezas de prateleiras… As traças é que não vão gostar, sobretudo as que se habituaram ao sabor vintage do papel de jornal dos anos 60…

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão /  Alterar )

Google photo

Está a comentar usando a sua conta Google Terminar Sessão /  Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão /  Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão /  Alterar )

Connecting to %s

%d bloggers like this: