Últimas notícias

Os melhores filmes de 2015, por Nuno Galopim

Texto: NUNO GALOPIM

Passou longe das atenções, mas “É Difícil Ser Um Deus”, de Aleksei German foi mesmo um dos acontecimentos do ano. E “Rabo de Peixe” de Joaquim Pinto e Nuno Leonel espera ainda uma merecida estreia comercial.

O melhor do cinema que vi este ano chegou de fora dos espaços da língua inglesa. E só houve mesmo uma presença falada em inglês nos dez mais. Chegou já este mês (chega hoje às salas) e despertou a força confirmando que, de facto, J.J. Abrams é um dos melhores autores de cinema de aventuras do nosso tempo e que era a figura certa para devolver à vida e ao seu melhor o universo Star Wars depois dos filmes medíocres que tinham feito da segunda trilogia um espaço de negócio rentável mas de grande equívoco como cinema. Curiosamente o melhor filme que vi este ano é também de ficção científica. Mas bem diferente, partindo de um livro dos irmãos Strugastky para, naquela que foi a última obra do russo Aleksei German, nos dar a experiência perturbante de um mundo profundamente alienígena que explora a ideia de como aos poderes totalitários o conhecimento e a cultura metem medo.

O lote de filmes que traduzem o melhor que vi este ano passa sobretudo por expressões da realidade do nosso tempo, seja quando aborda o caciquismo e a corrupção na Rússia atual em Leviatã ou quando, com João Salaviza, nos leva a olhar figuras da Lisboa real do nosso presente. Há histórias de guerra e de intolerância em Timbuktu, Tangerinas, O Presidente e A Jaula de Ouro. E ainda um hino de liberdade em O País das Maravilhas e um olhar diferente sobre a ideia de filme histórico numa adaptação ao cinema da escrita de Kleist.

No cinema que vi em festivais há que destacar o valor do olhar pessoal que Joaquim Pinto e Nuno Leonel fazem de uma pequena povoação açoriana e das suas gentes e vivências no sublime Rabo de Peixe que urge trazer às salas de cinema. Estreado em Berlim, passou pelo IndieLisboa e pelo Queer Porto. Mas merece mais plateias pela sua frente. Nota ainda para o regresso de Malick no mais urbano dos seus filmes até ao momento. E para o bom momento do cinema brasileiro, como tão bem nos mostrou a seleção de novos títulos apresentados na edição deste ano da Berlinale.

Estreados em sala:

1. “É Dificil Ser um Deus”, de Aleksei German
2. “Leviatã”, de Andrei Zviagintsev
3. “Montanha”, de João Salaviza
4. “Timbuktu”, de Abderrahmane Sissako
5. “Star Wars: O Despertar da Força”, de J.J. Abrams
6. “Tangerinas”, de Zaza Uruschade
7. “A Jaula de Ouro”, de Diego Quemada-Díez
8. “O Presidente”, de Moshen Makhmalbaf
9. “O País das Maravilhas”, de Alice Rohrwacher
10. “A Vingança de Michael Koolhaas”, de Arnaud des Pallières

Vistos em festivais:

1. “Rabo de Peixe”, de Joaquim Pinto e Nuno Leonel (Berlim)
2. “O Cavaleiro de Copas”, de Terrence Malick (Berlim)
3. “Beira-Mar!, de Filipe Matzembacher e Marcio Reolon (Berlim)
4. “La Vanité”, de Lionel Baier (Cannes)
5. “The Possibilities are Endless”, de James Hall e Edward Lovelace (IndieLisboa)
6. “Mustang”, de Deniz Gamze Erguven (Cannes)
7. “Ni Le Ciel Ni La Terre”, de Clément Cogitoire (Cannes)
8. “Nathan”, de Paul Douane (Judaica)
9. “B-Movie: Lust & Sound in West Berlim”, de Jörg A. Hoppe, Heiko Lange e Klaus Maeck (Berlim)
10. “Ausência”, de Chico Teixeira (Berlim)

Anúncios

2 Comments on Os melhores filmes de 2015, por Nuno Galopim

  1. Boa lista. Infelizmente, muitos dos filmes não são facilmente acessíveis ao público português. Quando são estreados comercialmente, acontece frequentemente de passarem apenas nas grandes cidades de Lisboa e Porto.

    Gostar

    • É bem verdade e por isso penso que os Cine-Teatros (e há muitos pelo país) e Centros Culturais e cineclubes têm ou trabalho a fazer ou motivos para arregaçar as mangas. Da lista Top 10 dos estreados há alguns já acessíveis em DVD/Blu-ray até mesmo com lançamento nacional:

      1. “É Dificil Ser um Deus”, de Aleksei German – Está disponível para VOD, e há DVD/Blu-ray no Reino Unido
      2. “Leviatã”, de Andrei Zviagintsev – Já cá há em DVD
      3. “Montanha”, de João Salaviza – esta acaba de estrear
      4. “Timbuktu”, de Abderrahmane Sissako – Já cá há em DVD
      5. “Star Wars: O Despertar da Força”, de J.J. Abrams – este até no meio do deserto vai passar
      6. “Tangerinas”, de Zaza Uruschade – Já cá há em DVD
      7. “A Jaula de Ouro”, de Diego Quemada-Díez – Não sei se há em VOD, mas lá fora já saiu o DVD
      8. “O Presidente”, de Moshen Makhmalbaf – Este ainda não está em DVD
      9. “O País das Maravilhas”, de Alice Rohrwacher – Já cá há em DVD
      10. “A Vingança de Michael Koolhaas”, de Arnaud des Pallières – Este ainda não está em DVD

      Os dos festivais é sempre caso mais complicado. O Cavaleiro de Copas estreia brevemente. O Beira-Mar vai ser distribuído cá. O Mustang acredito que também o venha a ser. E espero que o Rabo de Peixe o seja. Os outros vão ser mais difíceis de poder ver…

      Gostar

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s

%d bloggers like this: