Últimas notícias

Tudo ou nada (versão com pedais)

Texto: NUNO GALOPIM

Antes de nos mostrar um olhar sobre a cantora mais desafinada de sempre, Stephen Frears dá-nos a ver um olhar sobre a figura do ciclista Lance Armstrong, o campeão de ciclismo que acabou sem títulos.

Entre a aclamação, no Tour de France de 1999, de um novo campeão que, depois de vencer um tumor potencialmente letal, ganhava categoricamente a primeira das sete vezes consecutivas em que triunfou na mais célebre competição de ciclismo à escala mundial e o dia em que esses títulos lhe foram retirados, passaram apenas 13 anos. De campeão a burlão a história de uma figura que, ao desportista aparentemente exemplar juntava ainda a visibilidade pública de um importante filantropo na área da luta contra o cancro, habita a pulsação de Vencer a Qualquer Custo, de Stephen Frears que, sem querer desviar as atenções do protagonista e da sua firme obsessão pela vitória, acompanha, etapa a etapa, o caminho que Lance Armstrong pedalou entre os momentos que precedem a descoberta do tumor (em 1996) e o desmoronar de todo um palmarés quando, no desfecho de um processo de dimensões nunca antes vistas nesta área, reconheceu publicamente os métodos ilícitos que lhe permitiram conquistar os prémios que alcançou no ciclismo depois do seu regresso à estrada em finais dos anos 90.

O filme devolve Stephen Frears ao terreno do biopic, espaço no qual tem assinado uma série de títulos, ora retratando figuras já com visibilidade pública – como a rainha Isabel II em A Rainha (focando apenas a etapa da sua vida nas imediações do momento da morte da Princesa Diana) ou o dramaturgo Joe Orton em Prick Up Your Ears – ou evocando histórias menos célebres, como as que vimos em Mrs. Henderson Apresenta ou Philomena. De resto, o filme que rodou após Vencer a Qualquer Preço é outro biopic no qual, com Meryl Streep como protagonista, evoca a socialite Florence Foster Jenkins, que muitas vezes é recordada como a pior cantora de sempre.

Neste seu olhar sobre a história de Lance Armstrong (interpretado por Ben Foster) o realizador tomou como ponto de partida o livro Seven Deadly Sins do jornalista do Sunday Times Mike Walsh que cedo suspeitou de irregularidades no comportamento desportivo do ciclista. É na constante perseguição entre o jornalista (a quem Chris O’Dowd veste a camisola) e o protagonista que Stephen Frears encontra o ritmo que define a narrativa que cronologicamente acompanha o sucedido neste intervalo de tempo sem desviar muito o seu foco da trama que ora corre entre as estradas de França ou bastidores afastados dos olhares onde todo um “programa” é posto em prática para que a vitória nunca falhe.

“Vencer a Qualquer Preço”
Título original: “The Program”
Realização: Stephen Frears
Com: Ben Foster, Chris O’Dowd, Dustin Hoffman, Guillaume Canet

Texto originalmente publicado na ‘Medeia Magazine’

Anúncios

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s

%d bloggers like this: