Últimas notícias

Imagens e memórias nos 70 anos da revista ‘Tintin’

Texto: NUNO GALOPIM

No mês em que se assinalam os 70 anos da estreia de uma das mais importantes publicações na história da BD, há edições especiais a evocar a sua memória.

A aproximação da passagem dos 70 anos sobre a edição do Nº 1 da revista Tintin começa a gerar publicações. Além do volume de 777 páginas La Grande Aventure du Journal Tintin: 1946-1988 (das edições Le Lombard) – que inclui algumas pequenas narrativas que nunca chegaram a ser editadas em álbum – e de um catálogo da exposição dedicada a Hergé que inaugura este mês no Grand Palais (Paris), há revistas a assinalar a efeméride. Vejamos dois casos…

Uma edição especial da Paris Match, sob o título La Saga du Journal Tintin junta uma série de artigos, com cronologias e imagens para evocar a história da revista na qual nasceram algumas das figuras maiores da história da BD franco-belga, entre as quais Blake & Mortimer (nascidas em 1946), Alix (1948), Dan Cooper (1954), Ric Hochet (1955) ou Michel Vaillant (1957), Umpá-Pá (1958), Comanche (1969), Thorgal (1977) a cada um deles sendo dedicado um conjunto de páginas, não faltando depois perfis mais curtos, de nomes como os de Corentin, Lefranc, Clifton, Taka Takata, Bernard Prince, Luc Orient, Jonathan ou Vasco…

Há uma entrevista de arquivo com Raymond Leblanc (um dos fundadores da revista) e um olhar sobre a concorrência, ou seja, outras revistas de BD surgidas em França e na Bélgica, entre as quais o Le Journal de Spirou, Coueurs Vaillants ou L’Astucieux. Seguem-se galerias de capas e de páginas especiais, uma bibliografia sobre todo este universo e, como não podia faltar, a própria história do relacionamento da Paris Match com Tintin (não faltando uma referência à revista fictícia Paris Flash, que surge em algumas pranchas de As Jóias de Castafiore).

A mais recente edição da revista dBD dedica a capa aos 70 anos da revista Tintin, propondo um destaque de 12 páginas que inclui entrevistas a André-Paul Duchâteau (um dos criadores de Ric Hochet e chefe de redação da revista nos anos 70) e Dino Attanasio (criador de Spaghetti, com trabalho na revista entre 1948 e 1968), um encontro entre Dany, Bob de Groot e Hermann e ainda um testemunho de Christian Denayer, que foi assistente de Jean Graton e Tibet, trabalhando respetivamente nas séries Michel Vaillant e Ric Hochet.

Anúncios

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s

%d bloggers like this: