Últimas notícias

As trovas noturnas de um duo dinâmico

Texto: NUNO GALOPIM

Um ex-Vampire Weekend, e o vocalista dos The Walkmen (que estão em modo de pausa) juntam-se para criar um álbum de canções de travo classicista e alma noturna.

Usa-se a expressão “superbanda” quando se juntam membros de grandes grupos para gravar discos e, eventualmente, fazer depois digressões. Aqui a coisa não é, tecnicamente assim tão clara. Rostam Batmaglij, mesmo tendo dito que manteria a colaboração com os antigos companheiros, deixou oficialmente os Vampire Weekend. E Hamilton Leithouser é um dos elementos dos The Walkmen que, desde 2014, deram voz a carreiras a solo desde que a banda entrou oficialmente em modo de pausa. A reunião, num primeiro álbum conjunto, de Rostam e Hamilton, não deixa contudo de representar a junção de duas forças representativas da cena indie nova-iorquina millenial (se bem que nos Walkmen haja também gente de Filadélfia e algumas vivências passadas em Washington DC).

Se o percurso de Rostam – quer nos Vampire Weekend quer no projeto paralelo Discovery – revela uma atitude de abertura a várias frentes (mesmo com uma aparente curiosidade maior pela exploração das electrónicas), já o álbum a solo que Hamilton Leihauser editou em 2014 expressava desejos em veicular heranças do grande cancioneiro americano, sem fechar a porta a eventuais relações com o legado de um Frank Sinatra.

Agora, juntos, Rostam e Hamilton tecem em I Had a Dream That You Were Mine um disco que, mesmo exibindo sinais evidentes das marcas do trabalho anterior de cada um dos dois músicos, procura encontrar um lugar possível para uma ideia de classicismo pop americano para o tempo presente. Instrumentalmente rico em acontecimentos (e cores), com uma produção capaz de garantir solidez e nitidez ao conjunto de canções de travo noturno (e carregadas de mágoas e de sonhos despedaçados), eis que entramos no outono com um disco que nos lembra que nem toda a criação tem de correr atrás da última revelação ou novidade.

Talvez não se repita aqui a excelência rara do lote de composições que fez do terceiro álbum dos Vampire Weekend o terceiro disco consecutivo de uma obra até aqui sem tropeções. Mas I Had a Dream That You Were Mine está tanto entre uma descendência possível do que ali escutámos, como o está face à estreia a solo de Hamilton ou a referências maiores, de Bob Dylan a um Rod Stewart. Que a vida a dois não se esgote aqui, porque tem por onde trilhar passos futuros…

Hamilton Leithauser + Rostam
“I Had a Dream That You Were Mine”
Glassnote Records
★★★

Anúncios

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s

%d bloggers like this: