Últimas notícias

Quando a ECM descobriu a música de Steve Reich

Texto: NUNO GALOPIM

Um entre os muitos lançamentos que assinalam o 80º aniversário de Steve Reich, esta caixa junta os três álbuns que o compositor lançou pela ECM entre 1978 e 1982.

Uma década volvida sobre a estreia das suas primeiras obras, Steve Reich tinha já alguns discos editados mas não conseguira ainda fixar um relacionamento com uma editora discográfica. A Deutsche Grammophon tinha já editado uma gravação de Drumming (uma das suas primeuras peças de maior fôlego) e havia, entretanto, registado já a interpretação de uma segunda obra. Mas, dois anos depois, Music For 18 Musicians estava ainda guardada entre fitas, no arquivo da editora, à espera de uma decisão sobre a sua possível edição. Foi por essa altura que o alemão Manfred Eicher, da ECM Records (etiqueta até então essencialmente focada no jazz) mostrou interesse em ser ele a lançar o disco. E assim, em 1978, a gravação de Music For 18 Musicians assinalou o início de uma colaboração do compositor norte-americano com a ECM, antecedendo uma outra etapa, mais longa e frutuosa, que depois o ligaria à Nonesuch Records.

Steve Reich lançou três discos na ECM, seguindo-se a este primeiro um segundo com Octet, Music For a Large Ensemble e Violin Phase (em 1980) e, depois, Tehillim (1982). Os dois primeiros discos traduzem, salvo em Violin Phase (que data de 1967 e expressa um exercício de phasing para dois violinos, muito característico das suas composições de então), sinais de busca para novas formas mais longas, complexas e instrumentalmente mais ricas e caracterizam um período em que, no final da década de 70, a música de Steve Reich, sem perder as marcas fundadoras da sua identidade, alargava a exploração de ideias para além do terreno minimalista que ele (juntamente com La Monte Young, Terry Riley e Phlip Glass) ajudara a definir entre a década de 60 e a alvorada dos setentas.

Tehillim é um caso diferente e não só coloca em cena um novo tipo de abordagem à voz na obra de Steve Reich como assinala uma primeira evidente manifestação da sua identidade judaica, ao partir de um conjunto de salmos para construir um corpo de dimensão maior que aqui se apresenta na sua versão de câmara.

Estes três discos surgem agora reunidos na caixa de 3 CD com que a ECM celebra o 80º aniversário de Steve Reich (que se assinala dia 3 de outubro). Steve Reich: The ECM Recordings junta à miniaturização destes três discos um booklet de 44 páginas com os textos originalmente escritos pelo compositor para apresentar estes álbuns, um novo ensaio de Paul Griffiths e ainda fotografias de sessões de gravação do período de ligação do compositor a esta editora.

Anúncios

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s

%d bloggers like this: