Últimas notícias

Como Yann Tiersen faz tanto com tão pouco

Texto: JOÃO PATRÍCIO

Ao décimo-oitavo álbum, Yann Tiersen volta a arrumar as caixinhas de música e o acordeão e aborda a sua música de forma mais simples e delicada. Amanhã estará em Lisboa, no Coliseu dos Recreios.

Ao décimo-oitavo álbum, Yann Tiersen volta a arrumar as caixinhas de música e o acordeão. O experimental fica de parte, bem como as influências do rock dos tempos de Dust Lane e do álbum colaborativo com Shannon Wright. À semelhança do que fizera em parte da banda sonora do filme Good Bye Lenin!, o compositor e músico francês eleva a sua música a um outro patamar de erudição.

Escutar EUSA é como ouvir as composições de grandes nomes como Claude Debussy ou Erik Satie. O piano flui naturalmente ao longo do tempo, com composições suaves. Também o caos e o aparato musical de projetos como a famosa banda sonora de O Fabuloso Destino de Amelie ou Skyline são postos de parte e dão lugar a uma sonoridade mais simples.

O álbum não apresenta qualquer compartimentação. O ouvinte passa de uma música para a outra praticamente sem disso se aperceber. Tiersen une aqui as várias composições por meio de breves interlúdios, intitulados Hent, que consistem em transições que deixam o piano respirar, ao lado de ecos, vozes, e corvos.

Vale a pena destacar algumas faixas. A primeira que ressalta é Lok Gweltz. Denota alguns aspetos equiparáveis a Comptine dans autre été, l’après-midi, como se Tiersen compusesse agora a continuação da famosa canção criada em 2001. Yuzin tem alguns elementos de Debussy, nomeadamente do Arabesco nº 1 em Mi. O ritmo e alguns compassos soam familiares à peça concebida no final do século XIX.

EUSA marca uma fase de assentamento da poeira do multi-instrumentalismo, da sobreposição de sons, e do experimentalismo. Neste novo projeto, Yann Tiersen aborda a sua música de forma mais simples e delicada.

Para muitos pode chegar-lhes a visão redutora de um álbum que reune um conjunto de solos de piano. Mas certo é que, sem orquestras, quase no instrumentalismo puro, o compositor toca mais do que nunca no coração de quem o ouve.

Anúncios

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s

%d bloggers like this: