Últimas notícias

Imagens que se podem escutar

Texto: NUNO GALOPIM

O maestro Michael Tilson Thomas e a San Francisco Symphony juntam mais um título magnífico ao catálogo discográfico da editora da própria orquestra, a SFS Media, com gravações de obras de música orquestral de Claude Debussy.

Profundo admirador de Claude Debussy (1862-1918), o maestro norte-americano Michael Tilson Thomas – que é atualmente o diretor artístico da San Francisco Symphony, orquestra que, além das gravações de Beethoven e Mahler, tem vindo a criar através da sua SFS Media uma das mais estimulantes discografias recentes com registos da música para orquestra do século XX – dedica um dos melhores discos deste ano a um conjunto de obras orquestrais do compositor francês.

Já com importantes edições dedicadas a Debussy em Le martyre de St. Sebastien (gravado pela Sony Classical em 1993 com a London Symphony Orchestra) e um trio de sonatas registadas em conjunto com elementos da Boston Symphony Orchestra (editado pela Deutsche Grammophon em 2007), neste seu novo disco com a San Francisco Symphony aborda obras compostas entre 1905 e 1913 (posteriores portanto às mais “emblemáticas”, e mais vezes gravadas, Prélude à l’après-midi d’un faune, de 1894, ou La Mer, de 1904 ), entre as quais sublinha a riqueza e complexidade do trabalho para diversos instrumentos que estas peças convocam, mostrando a gravação como a orquestra tão bem depois as executa.

O tríptico Images (que corresponde a um conjunto de peças que surgiram num intervalo de tempo entre 1905 e 1912), o bailado Jeux (estreado em 1913 com uma coreografia de Nijinsky) e La Plus Que Lente (versão orquestrada de uma peça para piano estrada de 1910) fazem o alinhamento de um disco que confirma no maestro e na orquestra uma referência do nosso tempo que não se esgota apenas nas aclamadas abordagens a Mahler (como chegámos a ver há poucos anos na Gulbnekian), nem nos grandes compositores contemporâneos norte-americanos . E aqui vale a pela recordar que obras como West Side Story de Leonard Bernstein e Harmonielehre, de John Adams, tiveram recentemente na SFS Media, por Tilson Thomas e a San Francisco Symphony, gravações de primeiríssima linha.

“Images, Jeux, La Plus que Lente”, de Debussy, pela San Francisco Symphony, dirigida por Michael Tilson Thomas, tem edição em CD pela SFS Media e está disponível em plataformas de streaming.

Anúncios

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s

%d bloggers like this: