Últimas notícias

O melhor da BD em 2016, por Rui Alves de Sousa

Texto: RUI ALVES DE SOUSA

2016 foi um ano glorioso para a edição de BD em Portugal, com propostas para todos os gostos. Nesta seleção os “clássicos” levam a melhor, tanto que tivemos vários títulos famosos da nona arte finalmente traduzidos em português – e nunca é demais celebrar novelas gráficas excecionais como Watchmen ou V de Vingança, ainda duas das maiores obras primas dos comics, e o menos conhecido Miracleman (edição da G-Floy), super-herói da época clássica revitalizado e desconstruído por Alan Moore (que aqui assina como O Escritor Original) que deve ser descoberto, pela influência tão grande que criou em tudo o que lhe seguiu.

Espaço ainda para obras mais contemporâneas, como o magnífico Os Vampiros, uma das BDs que mais me surpreendeu neste último ano, além de outras obras incontornáveis do século XXI. A Levoir “domina” esta dezena de escolhas não por favoritismo, mas porque foi graças à sua coleção de novelas gráficas (que já vai na segunda série) e com outros lançamentos isolados que o público português pôde ter acesso a histórias que permaneciam inexplicavelmente inéditas entre nós.

De destacar ainda as várias coleções publicadas ao longo do ano e que, ficando de fora desta lista, não deixam de ser igualmente recomendáveis e sintomáticas de um novo “crescimento” de presença da BD no mercado português. Vale a pena, por isso, descobrir a série Os Túnicas Azuis, lançada pela Bedeteca feita em parceria entre o Público e a Asa, a história integral de Sandman, de Neil Gaiman, também pela Levoir, mais o desfecho de Fatale com a publicação dos dois últimos tomos (uma saga que se superou no quarto e penúltimo volume).

1. Watchmen, Alan Moore e David Gibbons (Levoir)
2. V de Vingança, Alan Moore e David Lloyd (Levoir)
3. Miracleman, O Escritor Original, Garry Leach, Alan Davis, John Ridgway, Chuck Austen, Rick Veitch, John Totleben, com Don Lawrence, Steve Dillon, Paul Neary e Rick Bryant (G-Floy)
4. Os Vampiros, Filipe Melo e Juan Cavia (Tinta da China)
5. A Asa Quebrada, Antonio Altarriba e Kim (Levoir)
6. Daytripper, Fábio Moon e Gabriel Bá (Levoir)
7. Chernobyl – A Zona, Natacha Bustos e Francisco Sánchez (Levoir)
8. Luna Park, Kevin Baker e Danijel Zezelj (Levoir)
9. Fax de Sarajevo, Joe Kubert (Levoir)
10. Má Raça, Jason Aaron e Ron Garney (G-Floy)

Advertisements

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s

%d bloggers like this: