Últimas notícias

Quando o som desenha o espaço

Texto: NUNO GALOPIM

Um baixo elétrico de seis cordas e um baixo acústico são as ferramentas ao serviço do desenho de espaços que podemos encontrar no belíssimo “Provenance”, do baixista sueco Björn Meyer.

Sueco, mas com a Suíça como casa há já algum tempo, o baixista Björn Meyer tem passado parte dos seus dias a colaborar com músicos como, entre outros, Anouar Brahem, Asita Hamidi (a cuja memória este novo disco é dedicado) ou Johan Hedin, tendo integrado o coletivo Ronin, de Nik Bärtsch, no qual por vezes ocupou espaços de maior protagonismo. Provenance leva-o contudo a outros patamares de desafio num disco que representa o primeiro no catálogo da ECM a ter o baixo elétrico como solista.

Na verdade, entre as várias faixas que fazem o alinhamento deste álbum de Björn Meyer o baixo elétrico divide espaço com o baixo acústico (nas mãos de Richard Rolf), à reverberação e aos silêncios cabendo o aprofundar da sugestão do desenho das cenografias. A noção de espaço e o modo de o sugerir através da música são, de resto, peças-chave de um disco gravado no auditório Selio Molo RSI em Lugano (Suíça), no qual o ressoar das notas materializa essas visões sob evidente minimalismo de recursos em cena.

“Provenance”, de Björn Meyer, está disponível em CD numa edição da ECM Records

Anúncios

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s

%d bloggers like this: