Últimas notícias

Os melhores discos de 2017, por Nuno Galopim

Texto: NUNO GALOPIM

Quatro listas de álbuns em quatro frentes… Internacional, Nacional, Jazz + Clássica e Reedições. Porque foi por estes caminhos que mais escutei o ano de 2017…

Quatro listas para tentar arrumar algumas das mais marcantes experiências em disco que ficaram destes últimos 12 meses. Optei por falar de álbuns e não de canções (estou a ficar mais conservador, portanto). As escolhas traduzem o que de melhor ouvi num ano em que muito mais certamente aconteceu. É que cada vez mais tenho a consciência de que há muita música que me escapa, pelo que estas listas não devem ser tidas como um olhar pessoal sobre o todo, mas antes o retrato do conjunto das vivências que a estes discos permitiram chegar… Muitos títulos ficam de fora, como sempre. Mas para isso há mais listas. Assim como há quem não goste de listas e prefira navegar entre o que vai encontrando. Mas isso é o que há de mais maravilhoso nesta coisa que se chama “gosto”. Que é possibilidade de cada um chegar aos discos que mais gosta de ouvir. E depois decidir, por si, do seu gosto.

Internacional

1. Ryuichi Sakamoto, “Async”
2. Ibeyi, “Ash”
3. Susanne Sundfor, “Music For People In Trouble”
4. The Knife, “Live at Terminal 5”
5. Dave Depper “Emotional Freedom Technique”
6. Planetarium, “Planetarium”
7. Bjork, “Utopia”
8. St. Vincent, “Masseduction”
9. Jesca Hoop, “Memories Are Now”
10. Arca, “Arca”

Nacional

1. Alexander Search, “Alexander Search”
2. The Gift, “Altar”
3. Ermo, “Lo-Fi Moda”
4. Xinobi, “On The Quiet”
5. Moullinex, “Hypersex”
6. Éme, “Domingo à Tarde”
7. Benjamim + Barnaby Keen, “1986”
8. Aldina Duarte, “Quando se Ama Loucamente”
9. Slow J, “The Art Of Slowing Down”
10 S. Pedro, “O Fim”

Jazz e clássica

1. John Adams, “John Adams Edition”, Berliner Philarmoniker, vários maestros
2. Theo Bleckmenn, “Elegy”
3. Thomas Köner & Jana Winderer, “Cloitre”
4. Max Richter “Three Worlds: Music From Woolf Works”
5. Chris Thile + Brad Mehldau, “Chris Thile + Brad Mehldau”
6. M. Wienberg, “Chamber Symphonies”, Gidon Gremer + Kremerata Baltica
7. Robert Haigh, “Creatures of The Deep”
8. Arve Henrikssen + Trio Mediaeval “Rimur”
9. Alarm Will Sound, “Meet The Composer: Splitting Adams”
10. Thomas Adès “Asyla + Tevot + Polaris”, London Symphony Orchestra, Adès

Reedições

1. Leonard Bernstein “The Composer”
2. Ella Fitzgerald “Sings The George & Ira Gershwin Songbook”
3. David Bowie “1977-1982 – A New Career in a New Town”
4. Prince “Purple Rain (Expanded Edition)”
5. Pet Shop Boys – Série de reedições “Further Listening”
6. The Smiths “The Queen Is Dead”
7. The Beatles “The Beatles Christmas Records Box”
8. Blancmange “The Blanc Tapes”
9. Sitiados “Sitiados 25 Anos”
10. Radiohead “OK Computer OKNOTOK 1997-2017”

Anúncios

1 Comment on Os melhores discos de 2017, por Nuno Galopim

  1. Gostos de quem sabe!

    Gostar

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão /  Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão /  Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão /  Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão /  Alterar )

w

Connecting to %s

%d bloggers like this: