Últimas notícias

Os melhores discos de 2017, por Gonçalo Cota

Texto: GONÇALO COTA

A escolha inusitada de um álbum ao vivo para melhor do ano deixa de o ser quando atendemos às propriedades de “Live at Terminal 5”, que estilhaçam totalmente o cânone, tanto na sua dimensão performativa, de difícil digestão, como na sonoridade vanguardista, intensamente fascinante

Com o aumento da complexidade e diversidade do aparelho musical, refletido nas variadas propostas bens sucedidas que ouvi, descobri e me deram a mostrar (processo-chave para um 2017 bem saboroso), o exercício de escolha correlacionou-se invariavelmente com a minha narrativa pessoal e na sua tradução para a música. Em linhas gerais, os dez álbuns que apresento são expressões pop de contornos ligados às eletrónicas, que habitam em lugares-comuns da vivência queer e feminina, em clara contradição com uma ordem social capitalista e misógina e profundamente enriquecidas pela diversidade de prismas, elementos, formas culturais e identitárias.

Apesar da centralidade da figura de Morrisey, cujo desastroso Low in High School não consta nesta lista, são os irmãos Karin e Olof Dreijen, através de um corpo de canções para mim até então desconhecida, catalisadores de uma (re)descoberta identitária bastante intensa. A escolha inusitada de um álbum ao vivo para melhor do ano deixa de o ser quando atendemos às propriedades de Live at Terminal 5, que estilhaçam totalmente o cânone, tanto na sua dimensão performativa, de difícil digestão, como na sonoridade vanguardista, intensamente fascinante. Arca revela, com facilidade que perfuma toda a paisagem com vanguarda, ser o colaborador ideal; Kelela e Ibeyi densificam olhares sobre as condicionantes de ser mulher e negra em dois longas-duração excecionais; Perfume Genius continua, desde Learning (2010), a trilhar um caminho deleitoso e Charli XCX distancia-se da pop comercial, rumo a um experimentalismo extravagante. Aqui está o ano de 2017.

The Knife – Live At Terminal 5
Arca – Arca
Kelela – Take Me Apart
Ibeyi – Ash
Fever Ray – Plunge
Susanne Sundfor – Music for People in Trouble
Perfume Genius – No Shape
Bjork – Utopia
Charli XCX – Pop 2
St. Vincent – Masseduction

Descobertas

Lena d’Água – Jardim Zoológico/Tau (1983)
The Smiths – Louder Than Bombs (1987)
Morrissey – Viva Hate (1988)
The Knife – Shaking the Habitual (2013)
Pet Shop Boys – Electric (2013)

Anúncios

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão /  Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão /  Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão /  Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão /  Alterar )

w

Connecting to %s

%d bloggers like this: