Últimas notícias

Caminhos invisíveis para três vozes

Texto: NUNO GALOPIM

O saxofonista e clarinetista veterano John Surman apresenta aqui a estreia de um novo trio no qual junta a si as vozes, igualmente experientes, do pianista brasileiro Nelson Ayres e do vibrafonista norte-americano Rob Waring. O ano começa bem pelos lados da ECM Records.

John Surman, Rob Waring e Nelson Ayres

Saxofonista e clarinetista veterano, quase a completar a passagem dos 50 anos sobre o lançamento do seu primeiro disco, John Surman apresenta neste seu novo disco um novo trio que começou a ganhar forma numa ocasião em que se deslocou ao Brasil para participar no álbum Fala de Bicho, Fala de Gente, de Marlui Miranda, com temas inspirados pelas canções de um dos povos da Amazónia. Foi aí que conheceu Nelson Ayres e cedo sentiu o desejo de com ele embarcar num novo projeto, que imaginou inicialmente na forma de duo. Uma terceira voz surgiu mais adiante, entrando em cena Rob Waring que, tal como Surman, vive hoje em dia na Noruega. O resultado de um primeiro encontro físico dos três, que decorreu em Oslo por ocasião da gravação deste disco (e com Manfred Eicher na produção), ficou fixado nas faixas de Invisible Threads, disco que explora as linguagens de um jazz ambiental que passam por alguns outros discos de Surman e que assinala claramente os jogos a três que aqui se constituíram e que, brevemente, ganharão em palco numa digressão que está neste momento a ser desenhada.

Figura com vasta obra gravada, com uma discografia em nome próprio e em colaborações que precede em dez anos a sua filiação (em 1979) ao catálogo da ECM, Surman encontra aqui um possível primeiro passo num novo capítulo para a sua obra. O pianista brasileiro Nelson Ayres, que colaborou com inúmeros nomes da música do seu país como Airto Moreira, Milton Nascimento, Chico Buarque, César Camargo Mariano, Astrud Gilberto, assim como trabalhou com figuras como Dizzy Gillespie ou Benny Carter, e o vibrafonista norte-americano Rob Waring, que tem vasta experiência também como percussionista clássico e aqui toca também marimbas, materializam aqui visões interiores que começaram a nascer a mais de dez mil quilómetros entre si e que, só depois, em estúdio, se fizeram finalmente um corpo uno. Na verdade houve três dias de ensaios antes do início das sessões em Oslo. O conjunto de interesses comuns e a experiência de todos eles nos campos da música improvisada abriu os caminhos que Invisible Threads agora connosco partilha.

“Invisible Threads”, de John Surman, com Nelson Ayres e Rob Waring, está disponível em CD numa edição pela ECM Records/Distrijazz.

Anúncios

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão /  Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão /  Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão /  Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão /  Alterar )

Connecting to %s

%d bloggers like this: