Últimas notícias

Duran Duran: a integral dos singles (1981)

Texto: NUNO GALOPIM

2018 celebra a passagem de 40 anos sobre a formação dos Duran Duran, nascidos em Birmingham em 1978. A assinalar a data vamos revisitar a integral da sua discografia de singles e EPs… Discos para revisitar, aos poucos, um a um…

1981. “Planet Earth”

Gravado em Londres em Dezembro de 1980, poucas semanas depois do grupo ter assinado pela EMI, Planet Earth assinalou a estreia discográfica dos Duran Duran, a 2 de Fevereiro de 1981. O trabalho de estúdio decorreu na companhia do produtor Colin Thurston, que tinha trabalhado ao lado de Tony Visconti na gravação de álbuns como Heroes de David Bowie ou Lust For Life de Iggy Pop, e sublinhou claramente as linhas de cruzamento de heranças com traços de contemporaneidade que ali se desenhavam.

Cruzando marcas do seu tempo – a predominância de um fundo definido pelos sintetizadores, uma batida herdada do disco e um sentido melodista que não esconde escola em nomes como Bowie ou os Roxy Music – o single representou um dos momentos de referência do movimento new romantic que, desde 1979, borbulhava em algumas discotecas in de Londres e Birmingham. De resto, apesar de edições anteriores de singles dos Visage, Spandau Ballet, Ultravox ou Classix Nouveaux, Planet Earth foi a primeira canção a usar a expressão “new romantic” na sua letra, esta definindo preocupações sci-fi e ambientalistas que caracterizaram a alvorada de 80.

Realizado por Russel Mulcahy (que aqui encetou uma longa relação com o grupo), o teledisco que acompanhou Planet Earth foi peça central da iconografia new romantic. Os fatos bizarros (que eram fundamentais nas noites que definiam o movimento) são usados pelo grupo, assim como por amigos seus, que surgem na secção instrumental a meio da canção, em passos de dança característicos do momento. O sentido ambientalista da canção é reforçado por dados projectados em letras e números. Não era comum, na época, uma banda nova estrear-se com semelhante requinte visual.

No lado B do single surge Late Bar, uma das primeiras canções compostas quando meses antes a formação definitiva do grupo fora atingida. O single atingiu um inesperado número 12 no Reino Unido. Foi número um na Suécia, Austrália e… Portugal.

A: Planet Earth
B: Late Bar

A: Planet Earth (Night Version)
B: Planet Earth + Late Bar

Promo americano de 1981
A: Planet Earth (Club Version)
B: Planet Earth (Radio Version)

Edição japonesa
A: Planet Earth = プラネット・アース
B: Late Bar = レイト・バー

1981. “Careless Memories”

Dois meses depois de Planet Earth, Careless Memories foi apresentado como segundo single dos Duran Duran, seguindo uma lógica então habitual de apresentação gradual de uma banda através de várias canções, antes de fazer chegar ao mercado um primeiro álbum.

A canção revelava uma face mais sombria, tensa, mais rock’n’roll do que o que Planet Earth havia sugerido. Construída em torno de uma linha criada nos sintetizadores por Nick Rhodes, depois quase afogada pela electricidade das guitarras, a canção tornar-se-ia, com os anos, um tema obrigatório em concertos. Todavia, em abril de 1981, foi um tiro quase ao lado, não ultrapassando o número 37 em Inglaterra.

A escolha de Caraless Memories como single foi responsabilidade da editora, que temia o sucesso demasiado rápido para o grupo e, assim, vincava a coexistência de um lado mais alternativo na sua música. Reconhecendo o erro na escolha, os responsáveis da EMI deixaram que voltasse a ser o grupo a escolher os seus singles.

A decisão rapidamente provou ser certeira. Talvez mais interessantes que a faixa que dá título ao single e ocupa o lado A, os dois lados B (Khanada no single e uma versão de Fame, de Bowie, apenas no máxi) são duas pérolas da primeira etapa dos Duran Duran.

O teledisco de Careless Memories é um dos menos memoráveis de toda a obra visual dos Duran Duran. Tenta criar um clima de tensão narrativa (forçada, sublinhe-se), cruzando essas imagens com outras, da banda em actuação. Rapidamente aqui se constatou das fracas capacidades como potencial actor do vocalista (e talvez por isso nunca tenta experimentado o cinema). O vídeo foi rodado no Soho, em Londres, assinado por Perry Haines, que mais tarde fundaria a i-D Magazine.

Single
A: Careless Memories
B: Khanada

Máxi-single
A: Careless Memories
B: Khanada + Fame (*)

(*) versão de canção original de David Bowie, coassinada por John Lennon.

1981. “Girls on Film”

Uma semana depois do lançamento do álbum de estreia Duran Duran, um terceiro single extraído do seu alinhamento chegou às lojas. A canção, que abria o Lado A do álbum, rapidamente acabou transformada num clássico de referência da discografia do grupo e hoje é peça incontornável da memória pop de 80. Girls On Film, mais próximo do modelo híbrido de cruzamento de linguagens pop/rock com estruturas rítmicas herdadas do disco usado em Planet Earth foi fenómeno global, atingindo o quinto lugar no Reino Unido e o número um em diversos países, entre os quais Portugal.

A canção abria ao som de um motor de uma máquina fotográfica, reflectindo depois sobre a exploração de modelos pela indústria da moda (temática retomada anos depois no álbum Red Carpet Massacre, nomeadamente no teledisco de Falling Down). Os telediscos que acompanharam o single (sobretudo a versão censurada) roubaram contudo qualquer hipótese de protagonismo à abordagem temática sugerida. O single solidificou o estatuto do grupo no Verão de 1981 e tornou-se presença regular nos concertos do grupo.

O lado B apresenta um tesouro esquecido desses dias, Faster Than Light, um dos melhores B sides de toda a discografia dos Duran Duran. Na versão máxi, em vez da remistura com instrumental extra muito vulgar na época, optaram por apresentar um novo arranjo da canção. Este arranjo serve de banda sonora à versão não censurada do teledisco.

Rodado pela dupla Godley & Creme, o teledisco de Girls on Film foi dos primeiros da história do novo formato a ser alvo de censura televisiva. Apresentava, em diversas sequências, mulheres em situações mais próximas do soft core que dos códigos habituais na cultura pop da época. Para assegurar a divulgação da canção na televisão foi criada uma outra versão “censurada”, usando mais imagens da banda em atuação.

Lado A: Girls on Film
Lado B: Faster Than Light

Lado A: Girls on Film (Night Version)
Lado B: Girls on Film + Faster Than Light

Edição espanhola do single, com os títulos traduzidos. Na Venezuela a tradução usada foi “Muchachas De Película”.
Lado A: Girls On Film = Las Chicas En La Película
Lado B: Faster Than Light = Más Rápido Que La Luz


Edição japonesa do single.
Lado A: Girls On Film = グラビアの美少女
Lado B: Faster Than Light = 光速を越えて


Edição americana do single.
Lado A: Girls On Film
Lado B: Faster Than Light

O quarto single dos Duran Duran, lançado em novembro de 1981, representou a partida para o seu segundo álbum, que seria apenas lançado quase seis meses depois. Gravado em outubro, ou seja, muito antes das demais canções que depois surgiriam em Rio, My Own Way assinalava evidente afastamento do som apresentado no álbum de estreia, apostando numa revinvenção do legado do disco na forma de uma canção pop ritmada e melodiosa, destacando-se na sua estrutura uma camada de ‘disco strings’ tocadas nos teclados pelo próprio Nick Rhodes.

No lado B era incluído Like An Angel, elegante tema mid tempo que pisca o olho ao tom delicado do som contemporâneo dos Roxy Music. O single obteve resultados aquém do esperado, atingindo apenas o número 14 no Reino Unido. O grupo, aparentemente, desenvolveu uma má relação com My Own Way, nunca tendo incluído o single nas compilações ‘oficiais’ Decade ou Greatest.

Em Portugal este single foi, contudo, um dos maiores sucessos dos Duran Duran, tendo-se mantido por sete semanas no primeiro lugar. Houve, inclusivamente, uma segunda edição do single para o mercado português. Com uma foto da banda na capa, essa segunda edição do sete polegadas incluía o mesmo alinhamento da edição oficial internacional. Além da capa diferente, um extra desta edição portuguesa era um autocolante, com a mesma foto da banda. Uma edição portuguesa completa (ou seja, com o autocolante), pode ter algum valor no circuito do colecionismo.

O teledisco de My Own Way, realizado por Russel Mulcahy, é um dos mais invisíveis dos Duran Duran na história da MTV ou VH1. Todavia, foi presença regular na televisão portuguesa entre 1981 e 82. Com cenário e banda a preto, branco e vermelho, é integralmente rodado em estúdio, juntando aos músicos dançarinos que citam gestos e passos de flamenco (aceitando assim a sugestão do grafismo da capa do single) e um papagaio verde, que se passeia sobre o teclado de Nick Rhodes.

Single
Lado A: My Own Way
Lado B: Like an Angel

Máxi-single
Lado A: My Own Way (Night Version)
Lado B: Like an Angel + My Own Way (Short Version)

Edição japonesa
Lado A: My Own Way = マイ・オウン・ウェイ
Lado B: Like An Angel = 天使の調べ

Segunda edição portuguesa:
Lado A: My Own Way
Lado B: Like an Angel

Edição espanhola
Lado A: My Own Way = A Mi Estilo
Lado B: Like an Angel = Como un Angel

Edição francesa
Lado A: My Own Way
Lado B: Like an Angel

O ano de 1981, que assinalou a estreia em disco dos Duran Duran, assistiu à edição de um EP exclusivo para o mercado japonês e a um outro, apenas com efeitos promocionais, que teve lançamento em Portugal.

“Nite Romantics” EP
Editado apenas no Japão, o EP Nite Romantics encetou um hábito que os Duran Duran manteriam vivo na sua discografia até 1987, a compilação de remisturas originalmente lançadas nos máxi-singles, fechando a selecção de temas ao álbum mais recente. Assim foi em 1981, naturalmente com os temas do álbum de estreia Duran Duran como protagonistas.

Com capa usando a linha gráfica que Malcolm Garrett (da Assorted Images) havia seguido em todos os lançamentos ligados ao álbum de estreia, Nite Romantics encerrava esse capítulo recolhendo as remisturas de Planet Earth e Girls on Film, juntando-lhes dois temas colhidos no lado B do máxi de Careless Memories: Khanada (um dos melhores lados B da discografia dos Duran Duran) e uma segura versão de Fame, original de David Bowie.

Lado A: Planet Earth (Night Version) + Khanada
Lado B: Fame + Girls On Film (Night Version)

“With Compliments” EP
With Compliments é o título de um EP criado apenas para efeitos promocionais e destinado sobretudo a uma distribuição entre DJs. O objetivo era o de juntar à visibilidade diurna da banda na rádio um complemento noturno, na pista de dança. O EP juntou os dois singles iniciais da obra do grupo e ainda a versão do máxi do primeiro, Planet Earth. O EP teve uma edição genérica para os mercados europeus, mas, dado o grande sucesso que os Duran Duran então tinham em Portugal, conheceu uma edição especial pela EMI-VC, uma vez mais apenas para efeitos promocionais junto dos DJs portugueses. A capa é uma adaptação direta, a duas cores, do grafismo do álbum de estreia.

Lado A: Planet Earth (Night Version) Special Disco Mix
Lado B: Careless Memories + Planet Earth

“Sound of Thunder” (promo)
Para o mercado britânico foi lançado um máxi promocional incluindo três temas do alinhamento do álbum de estreia, Duran Duran. Foram escolhidos Sound Of Thunder e Anyone Out There, na verdade potenciais singles a extraír do álbum, e ainda o instrumental Tel Aviv. A edição não tem capa. Nem a etiqueta segue o grafismo então habitual nas edições da banda.

Lado A: Sound Of Thunder
Lado B: Anyone Out There + Tel Aviv

Anúncios

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão /  Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão /  Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão /  Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão /  Alterar )

Connecting to %s

%d bloggers like this: