Últimas notícias

Um regresso de Blake & Mortimer aos despojos do Espadão

Texto: NUNO GALOPIM

O primeiro volume de uma nova aventura de Blake & Mortimer parte de ações ocorridas após os acontecimentos em “O Segredo do Espadão” e devolve os heróis da série a espaços da Ásia. Yves Sente e uma nova dupla de desenhadores estão na base de um dos melhores álbuns da era pós-Jacobs.

Com um volume de narrativas posteriores ao desaparecimento de Edgar P. Jacobs já superior ao número de histórias assinadas pelo seu próprio criador, as aventuras de Blake & Mortimer têm vindo a explorar as possibilidades que o quadro cronológico da mitologia das personagens vai colocando perante os novos autores, sendo já várias as ocasiões em que são retomadas personagens e ecos de histórias já conhecidas.

É o que acontece uma vez mais em no volume um do díptico “O Vale dos Imortais” – que tem como título “Ameaça Sobre Hong Kong” – que a ASA acaba de lançar entre nós em simultâneo com a edição internacional. O texto é de Yves Sente, o argumentista que mais vezes escreveu para as aventuras de Blake & Mortimer depois de Jacobs. No desenho estreia-se nesta série a dupla Teun Berserik e Peter Van Dongen. E, apesar de não imaginarmos ainda o desfecho desta aventura, podemos afirmar que, depois de “O Caso Francis Blake” (de Jean Van Hamme e Ted Benoit) e de “A Conspiração Voromov” (de Yves Sente e André Juillard) este arranque de “O Vale dos Imortais” parece juntar aos álbuns pós-Jacobs um dos seus melhores momentos.

A ação está localizada em 1947, cronologicamente sucedendo-se assim aos acontecimentos (históricos) de “O Segredo do Espadão”, a dada altura sendo mesmo recriadas (com novos diálogos e olhares) algumas das sequências finais dessa aventura de referência. Yves Sente cria um contexto que cruza ecos da história real da China na primeira metade do século XX com a mitologia das aventuras de Blake & Mortimer para nos colocar em busca de duas peças de extremo valor histórico que, retiradas das coleções imperiais, acabaram separadas e sob posses distintas quando se tentava levá-las para Taiwan. É, contudo, a cidade de Hong Kong que surge como o epicentro de uma trama que invariavelmente acaba por envolver os protagonistas e que, visitando os momentos finais do regime do imperador Basam Damdu, acompanha a fuga do resiliente coronel Olrik… Não será surpresa imaginar que os caminhos dos protagonistas e do vilão voltarão a convergir mais adiante na ação…

Nada como esperar pelo volume 2 para saber o que se passa e tirar definitivas conclusões sobre esta 19ª aventura de Blake & Mortimer. Para já não só a escrita é mais empolgante do que muitos dos álbuns recentes como, tal como o desenho, está dentro da “linha” exigida pela série… E pela capa passa uma homenagem a “O Lótus Azul”, de Hergé. Agora é esperar pelo desfecho.

“O Vale dos Imortais – Tomo 1”, de Yves Sente, Teun Berserik e Peter Van Dongen. Edição de 56 páginas em capa dura pela ASA. Tradução de Paula Caetano.

Anúncios

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão /  Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão /  Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão /  Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão /  Alterar )

Connecting to %s

%d bloggers like this: