Últimas notícias

Como as palavras da rádio deram novas visões a Paddy McAloon

Texto: NUNO GALOPIM

Um disco editado a solo por Paddy McAloon numa etapa em que a doença oftalmológica que o atingiu o deixou praticamente sem visão, “I Trawl The Megahertz” regressa agora em nova edição, com capa diferente e assinado como Prefab Sprout… E convenhamos que está ao nível da discografia do projeto, que agora é apenas seu.

É com entusiasmo que o mundo dos admiradores dos Prefab Sprout assistem à edição de um novo disco. Que na verdade não é exatamente novo, já que não é mais do que uma reedição (com novo look e som remasterizado) de um álbum que representou uma experiência a solo de Paddy McAloon na alvorada do século XXI mas que representou a sua mais intensa experiência de criação desde os álbums editados pelos Prefab Sprout em finais dos anos 90 e o disco que em 2013 assinalou o seu reencontro com novos desafios.

Editado em 2009, “Let’s Change The World With Music” foi um álbum “de arquivo” que recuperava gravações do início dos anos 90. Lançado oito anos antes, “The Gunman And Other Stories” apresentava no alinhamento algumas canções já com história anterior. Pelo que temos de recuar a 1997 e a “Andromeda Heights” para encontrar o disco que inicia um ciclo de afastamentos e pausas que só terminaria em 2013 com a edição de “Crimson / Red” que assinalou o início de uma nova etapa na vida dos Prefab Sprout que, na verdade, ainda não juntou a esse disco um novo lote de canções editadas… Originalmente editado em 2003 “I Trawl The Megahertz” representou na verdade o único momento, nesse longo intervalo entre 1997 e 2013, no qual Paddy McAloon nos deu a escutar composições que, de facto, eram novas. Editou, contudo, o disco em nome próprio, acabando o álbum por colher boas opiniões mas longe das atenções a que estava habituado quando editava pelos Prefab Sprout. O disco regressa agora com o mesmo alinhamento e mistura, mas com nova capa, um texto de apresentação pelo próprio Paddy McAloon e, como maior diferença, o facto de surgir assinado como Prefab Sprout… Convenhamos que, artisticamente, faz sentido. Até porque, e como o confirmou o músico quando editou “Crimson / Red”, o grupo é na verdade, hoje, um projeto a solo seu. Ou seja, “Prefab Sprout c’est moi”, como diria Luís XIV…

A música de “I Trawl The Megahertz” surgiu numa etapa difícil na vida de Paddy McAloon. Profundamente afetado por uma doença oftalmológica que então o deixou praticamente incapaz de usar a visão, o músico descobriu na rádio uma fonte de prazer. Ouvia, sobretudo de noite, programas emitidos em ondas curtas, valorizando sobretudo momentos de conversa, diálogos, debates com os apresentadores dos programas… Essas vozes tornaram-se matéria prima para um pensamento musical que as decidiu usar não como as escutava, mas editando-as, recontextualizando-as, captando os seus sons para na sua nova forma tomar outros sentidos. Daí partiu para um processo de composição usando um computador, gerando peças que, depois, chamando a parceria de produtores como Calum Malcom (o mesmo do clássico “Hats” dos Blue Nile) ou do compositor David McGuinness, ganhou arranjos para uma orquestra de câmara e gerou um disco que revelou outras possibilidades para a música de Paddy McAloon.

“I Trawl The Megahertz” é um álbum orquestral essencialmente instrumental. As vozes da rádio irrompem sobretudo momentos do tema-título, surgindo pontualmente a do próprio Paddy McAloon no muito pessoal “Sleeping Rough” onde ele mesmo faz um retrato de si no presente, referindo não só como deixou crescer uma barba longa e prateada mas falando do estado da sua vida emocional nesta altura. É um disco belo e melanólico, de visões feitas de sons, explorando melodias, timbres de instrumentos, novas formas no plano dos arranjos e de busca de uma dimensão (na narrativa e contexto) que na verdade se aproxima mais do processo da criação de música para cinema do que do mais clássico espaço do disco de música popular… O álbum traduz ainda um modo desafiante de entender o poder inspirador da palavra. Que não é o mais clássico, vindo da leitura, mas o da audição… através da rádio.

Resta saber se este assumir da reedição de “I Trawl The Megahertz” como Prefab Sprout corresponde a mais um episódio intermediário na discografia de um dos projetos mais inspirados entre os nascidos na sua geração. Será, tal como o foi “Let’s Change The World With Music”, um momento de mergulho no arquivo antes de um eventual novo momento de revelação de temas inéditos (como o foi “Crimson / Red”)? Espero que sim…

“I Trawl The Megahertz”, dos Prefab Sprout, está disponível em 2 LP, CD e nas plataformas digitais numa edição da Sony Music. ★★★★

Anúncios

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão /  Alterar )

Google photo

Está a comentar usando a sua conta Google Terminar Sessão /  Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão /  Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão /  Alterar )

Connecting to %s

%d bloggers like this: