Últimas notícias

É o afeto que vai salvar o livro de papel

Texto: JOÃO MORGADO FERNANDES

No Dia Mundial do Livro, duas sugestões de leitura sobre o futuro do livro, no seu suporte clássico. Há um fator favorável determinante à sua perenidade que que emerge em todos os debates – o fator afetivo.

Vai o livro eletrónico (e-book) acabar com o livro, físico, em papel? Esta é uma daquelas questões de permanente discussão em fóruns dedicados ao livro, sendo que a resposta, surpreendentemente ou não, é evidente – não, as versões eletrónicas não vão acabar com o papel, pelo menos num horizonte visível.

A verdade é que esta discussão não é nova, especialmente no sector dos media. A televisão ia matar a rádio? O CD seria a morte do vinil? Nesses debates, houve previsões catastrofistas, que nunca se concretizaram. A rádio e o vinil tiveram que se reinventar, é certo, mas aí continuam presentes no nosso quotidiano.

Essa é uma das razões pelas quais quase ninguém arrisca prever a morte do livro em papel, ou seja, a capacidade a resiliência e capacidade de adaptação dos próprios suportes. Outra razão apontada é a do conforto. Sendo certo que os e-books são mais fáceis de transportar, e até podemos trazer uma estante no bolso, a verdade é que os nossos hábitos de leitura ainda estão formatados para o livro, sendo que as versões digitais só muito recentemente conseguiram aproximar-se do papel no que respeita à abordagem visual (há já alguns aparelhos que, desse ponto de vista, simulam de forma perfeita o papel).

Mas, no que aos livros respeita, há um fator favorável determinante à sua perenidade que que emerge em todos os debates – o fator afetivo. Que passa pelo sentimento de posse, pelo tato do papel, pela apetência pelo colecionismo, entre outros aspetos.

Este ângulo da afetividade foi amplamente explorado num artigo recente da revista New Republic, disponível online.
Mais abrangente, e já com uns meses, há um artigo da Economist, o qual, além do mais, é muito interessante do ponto de vista gráfico, já uma das vistas de leitura simula no computador um livro… em papel.

Os links:

New Republic
Economist

 

1 Comment on É o afeto que vai salvar o livro de papel

  1. João Fernandes // Abril 24, 2015 às 12:04 pm // Responder

    Também da New Republic, um artigo com entrevista sobre a preferência dos estudantes em ler livros em papel em vez de num e-reader.

    http://www.newrepublic.com/article/120765/naomi-barons-words-onscreen-fate-reading-digital-world

    Gostar

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão /  Alterar )

Google photo

Está a comentar usando a sua conta Google Terminar Sessão /  Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão /  Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão /  Alterar )

Connecting to %s

%d bloggers like this: